Paraty – Rio de Janeiro – Dicas de viagem

Hoje, traremos dicas de viagem para Paraty! Essa linda cidade da costa verde do Estado do Rio de Janeiro é uma das grandes atrações da Estrada Real. Venha conosco e veja as principais informações para a sua viagem!


Paraty – RJ – Dicas de viagem

Paraty é uma cidade linda que fica a 258km da Capital do Rio de Janeiro. Durante o período colonial, Paraty foi um grande porto exportador de ouro.

A região também é muito conhecida pela cultura caiçara, pelos quilombos e engenhos produtores de cachaça, além de se destacar no cenário nacional pela Feira Literária.


Quando ir a Paraty?

O melhor período para visitar Paraty são os meses de junho, julho e agosto, pois o índice pluviométrico é mais baixo. Importante dizer que ao longo do ano, as temperaturas não variam muito, sendo a mínima na faixa de 16ºC (geralmente no período da noite) e a máxima de 32°C.

Mas uma pergunta que todo mundo faz é a seguinte: “se eu resolver ir em janeiro, eu vou necessariamente pegar chuva?” A resposta por óbvio é Não! É perfeitamente possível que os 256 mm de chuva previstos para janeiro caiam todos em uma semana e nos demais dias o sol brilhe forte, quem define é a natureza. Mas de acordo com o guru do turismo Ricardo Freire, qualquer destino de praia com mais de 100 mm de previsão já indica a possibilidade de eventuais chuvas, sendo que acima de 200 mm o destino deveria ser repensado pelo viajante.


Como Chegar e se locomover?

A principal via para chegar em Paraty é a BR-101, seja vindo do litoral paulista ou vindo do Rio de Janeiro. Quem vem de São Paulo usará a BR-116 – Dutra – indo até Guaratinguetá, e ali deverá pegar a BR-459, que levará até Paraty passando por Cunha.

Eu recomendo que você vá para Paraty de carro, pois isso irá te dar muita mobilidade para acessar as atrações mais distantes, tais como Trindade, Praia do Sono, Ilha do Cedro e Ilha do Pelado. No entanto, em relação ao centro histórico, o percurso é facilmente feito a pé.

Todavia, também é possível chegar até a cidade de ônibus, pois existem linhas regulares do Rio para Paraty pela viação Costa Verde. Em dias úteis são 12 frequências partindo do terminal Novo Rio. Já de São Paulo são 5 frequências utilizando a viação Reunidas, com partidas do terminal Tietê.

O terminal rodoviário de Paraty fica muito perto do centro histórico e uma corrida de taxi até seu hotel não será nada exorbitante. Caso você tenha feito a opção de chegar na cidade de ônibus, indico que você veja nas agências espalhas pelo centro histórico quais são os passeios disponíveis, pois de ônibus público acho um pouco complicada a logística para acessar as atrações mais distantes, diante da pouca oferta deste tipo de transporte.

Deixo no link a seguir uma simulação para uma semana de aluguel de carro partindo do aeroporto de Guarulhos.


Quanto tempo ficar?

Entendo que o período ideal para cobrir os pontos de interesse de Paraty pode variar entre 4 e 7 dias.

Para quem quer aproveitar tudo com mais calma, 7 dias é o mais indicado. Por outro lado, quem deseja cobrir o básico creio que 4 dias será um tempo adequado. Importante registrar, que nos feriados a cidade fica bastante cheia.


Nossa Hospedagem em Paraty

Ficamos hospedados na Pousada do Príncipe. O checkin foi super rápido e o atendente muito atencioso, nos explicou tudo que havia de interesse para o turista na cidade.

A pousada possui uma boa infraestrutura com quartos bons e funcionais, piscina, restaurante e jardins agradáveis. O café da manhã é simples, mas bem gostoso.

O único ponto negativo foi o acesso a internet, com velocidade baixa, mas para nós não era algo fundamental.

Uma curiosidade é que essa pousada já pertenceu a um membro da antiga família real portuguesa, inclusive há na decoração um quadro com a árvore genealógica – desde Dom João VI.

As reservas nesta Pousada podem ser feitas pelo booking, clicando aqui.

Booking.com


Mais opções de hotéis

Outras boas opções de hospedagens são os hotéis a seguir:

  • Pousada Literária de Paraty – super pousada, situada no centro histórico e com um restaurante excelente (falo do restaurante no próximo post). Clique aqui e confira.
  • Pousada Casa Turquesa
  • Pousada do Sandi – boa pousada, fica fora do centro histórico, mas tão perto quanto a pousada do Príncipe. Para mais informações, clique aqui.


Quais as atrações de Paraty?

 

Centro histórico de Paraty

 

O centro histórico de Paraty é sensacional! A região é pequena, com mais ou menos 16 quarteirões, mas lá você vai encontrar um belíssimo conjunto arquitetônico, com inúmeras casas coloniais, igrejas, museus, bares, restaurantes, teatro, pousadas, hotéis, cachaçarias e etc.

Em relação as igrejas, destaco a Igreja Matriz – a Nossa Senhora dos Remédios ( aberta de segunda a sexta das 9h às 12h e das 13h às 17h30. Nos sábados, das 8h às 12h e de 13h às 16h. Entrada: R$ 3,00 ), a Igreja Nossa Senhora do Rosário na Rua do Comércio e a Igreja Nossa Senhora das Dores, conhecida como Capelinha. Um programa diferente também é visitar a Igreja de Santa Rita, onde funciona o Museu de arte sacra da cidade.

Uma curiosidade é que parte do centro histórico, especialmente a que está próxima do porto, é invadida pela água do mar, um fenômeno parecido ao que acontece em Veneza, sendo chamado de “acqua alta”.

Paraty é um destino com vários eventos turísticos ao longo do ano, em todas as épocas você encontrará algo bom para fazer por lá. O calendário oficial de eventos da prefeitura pode ser encontrado aqui.

Trindade

Trindade está localizada a 35km de Paraty, percurso que leva aproximadamente 40 minutos, pois boa parte da estrada é bem traiçoeira, com muitas curvas, subidas e descidas.

Essa pequena vila de pescadores está toda localizada dentro da área de proteção ambiental do Cairuçu.

Os restaurantes e pousadas são bem simples e também existe a opção de campings.

As principais atrações de Trindade são a Praia do Meio, Piscinas naturais do Cachadaço e Praia do sono, além de trilhas ecológicas que podem ser feitas na zona de mata atlântica que circula a região.


Praia do Meio

A praia do Meio fica a uma curta caminhada do centrinho de Trindade. A praia é linda! Lá você vai encontrar uma pequena estrutura com algumas barracas que alugam cadeiras e guarda sol, além de venderem bebidas e alguns petiscos aos visitantes. Gostei bastante da praia, dá para passar o dia “de boa”.


Piscinas Naturais do Cachadaço

Da praia do meio existe uma trilha que leva às piscinas naturais do Cachadaço, mas também é possível chegar lá de barco. Este passeio é vendido em uma pequena tenda comandada por uma cooperativa de barqueiros. O custo será de R$ 30,00 ida e volta (convém verificar os valores quando chegar lá). O percurso de barco não dura mais que 10 minutos. Se você tiver ido pela trilha e quiser voltar de barco é possível, mas terá que entrar na fila e conversar com o barqueiro, pois a prioridade é de quem já comprou a ida e volta.

OUTRAS PRAIAS DA REGIÃO

Praia do Sono

Antes de iniciar a descida da serra rumo a Trindade, haverá uma bifurcação com a indicação da entrada do condomínio Laranjeiras. Se quiser visitar a praia do sono, você deverá seguir por este caminho.

O condomínio Laranjeiras é um residencial de altíssimo padrão, então a segurança por lá é imensa. Você deve chegar e estaciona o seu carro fora do condomínio, na vila dos pescadores. De lá, você vai entrar em uma van até a área de embarque dos barcos. Não é permitido circular pelo condomínio. O embarque é feito rapidamente, geralmente há barqueiros disponíveis a qualquer hora.

A passagem custa R$30,00 por pessoa cada trecho. O barco leva diretamente para a praia do sono e a viagem deve durar 15 a 20 minutos. Avistamos peixes e tartarugas no trajeto. A chegada na praia do sono é a parte mais emocionante da viagem, uma dica: segure-se bem.

Para quem não desejar chegar de barco, existe uma trilha, mas já aviso que é bem puxada.

A praia do sono é um paraíso com algumas barracas, mas o ambiente é bem rústico. Certamente, foi uma das praias mais bonitas que já visitei.

Recomendo uma subidinha na parte final da trilha para ter uma visão panorâmica da praia.


Passeio de barco pelas Ilhas

Uma super dica para quem está em Paraty é fazer um passeio de barco pela baía de Paraty. O passeio pode ser feito de escuna, traineira ou lancha rápida.

As escunas custam em torno de R$ 60,00 a R$100,00 por pessoa e saem do porto entre 9h e 10h da manhã, percorrendo os principais pontos em aproximadamente 5 horas.

Outra opção é fazer os passeios privados em lanchas rápidas com o custo médio de R$1.000,00 a diária. Creio que com este tipo de lancha dê para esticar até o Saco de Mamanguá.

Ainda há a possibilidade de alugar uma traineira para fazer o passeio. Essa foi a nossa opção e super recomendo. O melhor horário para sair em passeios privados é sempre antes do horário das escunas, uma vez que você ficará com as praias praticamente desertas para desfrutar.

A traineira que alugamos era do comandante Luciano, chamada de Bom Passeio. O custo era de R$100,00 por hora (convém se atualizar acerca de mudanças no preço, pois estivemos em Paraty em 2017).

A traineira poderia levar até 12 pessoas, o que acho bastante vantajoso para quem está em grupo. O telefone do Luciano é 24-99908-9210. Acreditem em mim, vale muito a pena optar por este passeio!

Nosso passeio passou por lugares maravilhosas, como a Praia da Lula, Praia Vermelha, Lagoa Azul, Ilha da Bexiga, do Mantimento e Duas Irmãs. O nosso almoço foi realizado na praia vermelha, em uma barraca bem estruturada, com várias opções para beber e comer. Recomendo bastante!

Ilha do Cedro e Ilha do Pelado

Outra super dica para você passar um dia agradabilíssimo é pegar a estrada em direção ao Rio de Janeiro pela BR-101, até a praia de São Gonçalo. O percurso tem aproximadamente 32 km. Ao chegar em São Gonçalo você encontrará dois estacionamentos na margem da estrada, dali partem os passeios para as ilhas do Pelado e do Cedro.

A praia de São Gonçalo é um pouco suja e tem a areia escura, exatamente porque ali do lado desemboca um rio. De qualquer maneira, a grande atração do local são as ilhas que estão em frente da praia de São Gonçalo.

A travessia para a Ilha do Pelado é feita numa traineira do pessoal da Barraca da Beth. Você pagar R$20,00 para ir e voltar, as saídas vão acontecendo conforme a demanda.

As ilhas são paradisíacas e a água é transparente e bastante calma!

Depois da ilha do Pelado, alugamos um barco rápido para ir até a ilha do Cedro, onde ficamos na barraca do Nelson, o trajeto teve duração de 15 minutos na lancha rápida e custou R$ 30,00 por pessoa. Tanto a barraca do Nelson quanto a da Beth possuem poucas cadeiras. Portanto, é bom chegar cedo, especialmente no verão.

Restaurantes

Durante nossa estada comemos em três restaurantes sensacionais! Todos eles exploram a culinária caiçara, aliando ambiente agradável e muito bem montado com atendimento impecável.

Os preços não são exatamente populares, mas dá para fazer uma força e comer muito bem um dia ou outro, os restaurantes são:

Banana da Terra, com o destaque para os pratos de camarões e barriga de porco.

Bartholomeu, menção honrosa para a barriga de porco de entrada e a picanha recheada (se for pedir a picanha, saiba que é muita comida, dá para três pessoas comerem tranquilamente).

Quintal das Letras, anexo da pousada Literária. Todos os pratos estavam deliciosos, mas dou destaque a sobremesa com o trio de creme brulee de sabores regionais.

Não conseguimos ir ao Thai, um famoso restaurante Tailandês que fica bem no centro histórico, mas desejamos experimentar em uma nova visita.


Considerações finais

Pessoal, espero que vocês tenham gostado do relato de nossa visita a Paraty. Sugestões

e comentários são sempre bem vindos. Obrigado pela visita!


Obrigado a todos pela Leitura e até a próxima.