Índia, roteiro de 12 dias pelo país

 

Viaje conosco na cultura, nas cores e nos sabores deste país encantador que é a Índia! Confira nosso roteiro completo com dicas imperdíveis!

 

O Básico sobre a India


Segurança

Nós não tivemos nenhum problema relacionado a segurança, especialmente como aqueles que estamos acostumados no Brasil. No entanto, a grande questão aqui é que a Índia vive sob constante ameaça de terroristas extremistas do Paquistão. Então, em razão disso, todos os lugares são rigorosos com a checagem de seus visitantes, sendo bastante comum o uso de detectores de metais, cães farejadores e revistas em automóveis.


Comunicações

Sempre que viajamos, não abrimos mão de chegar ao destino conectados e a nossa escolha tem sido pelo Easysim4U. O processo de compra é bem simplificado e com frequência tem cupom de desconto no perfil @blogaviagem no instagram. Caso seja do seu interesse, veja aqui o link para comprar o seu, fique ligado no cupom e aproveite!

Destaco que nesta viagem, o chip não funcionou tão bem em alguns pontos do Rajastão, mas sempre estivemos com pelo menos a cobertura 3G.

 

Seguros

 

Eu não saio de casa para uma viagem internacional sem o meu seguro de viagem. Se você ainda não contratou o seu, clique aqui e veja as melhores ofertas para o dia de hoje. Compare entre as várias seguradoras existentes e compre o que melhor se encaixar no seu perfil. CLIQUE AQUI e confira.


Moeda e economia

A moeda oficial na Índia é a Rúpia Indiana (sigla INR). Em maio de 2019, 1US$ equivalia a 69INR (site oanda.com).

Indico que você leve para sua viagem Dólares Americanos ou Euros e realize a conversão nas várias casas de câmbio localizadas nas regiões centrais das cidades mais turísticas.


Religiões

O hinduísmo é a religião preponderante no país, mas há dezenas de outras, como por exemplo Sikri, Jain e Mulçumanos. A Índia também é o berço do Budismo.


Idiomas

A Índia possui vários idiomas oficialmente reconhecidos pelo governo, sendo os principais o Hindi, o Inglês, o Guzerate, o Hindustâni, o Bengali, o Panjabi e o Sânscrito.

Em nossa visita, contratamos um guia que falava fluentemente o espanhol e o francês. Estar acompanhado de um guia facilitou muito a nossa comunicação.


Vistos e Vacinas

O Governo da Índia oferece o Visto Eletrônico (e-Visa) para cidadãos de nações amigas, como o Brasil. O e-Visa está disponível em 5 subcategorias: e-Tourist (turismo), e-Business (negócios), e-Medical visa (médica), e-Medical Attendant (acompanhante médico) e e-Conference visa (conferência).

As seguintes atividades serão permitidas com o e-Tourist (turismo):

  • e-Tourist Visa: recreação, visita aos pontos turísticos, visita casual para encontrar amigos ou parentes, e/ou participar de programas curtos de yôga. A validade do e-Tourist visa é de até um ano após a chegada na índia, com a possibilidade de duas entradas e permanência não maiores que 90 dias corridos por visita/entrada no território.

Para maiores informações sobre o visto eletrônico, favor visitar: https://indianvisaonline.gov.in/evisa/tvoa.html

O custo do e-visa para o turista é de US$60,00.

Quanto as vacinas será obrigatório comprovar a proteção para Febre Amarela e COVID, através do Certificado Internacional de Imunização emitido pela ANVISA e do certificado emitido pelo Conect SUS.

É recomendável que você esteja em dia com as vacinas da gripe, tétano, raiva, hepatites A e B e a Poliomielite.

Economia

A Índia é um país emergente com bom crescimento econômico. De acordo com dados do Banco Mundial, a Índia é a quarta maior economia do mundo (levando em conta o PIB de 2017).

Nas últimas décadas, o país tem apresentado uma taxa de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) em torno de 7% ao ano. A economia indiana é diversificada, pois apresenta fortes resultados nas áreas agrícola, industrial, tecnológica, financeira e de serviços.

A Índia apresenta destaque nas exportações de produtos manufaturados. A indústria de tecnologia também tem apresentado grande crescimento nos últimos anos. fonte: https://www.suapesquisa.com/paises/india/economia_india.htm

Cultura e Costumes

A maioria dos indianos come usando as mãos. No entanto, nunca usam a mão esquerda para este fim, pois a consideram impura (eles fazem a higiene íntima com essa mão). Sempre que estender a mão para cumprimentar ou pegar algo, use a mão direita.

Para as mulheres, indico que evitem viajar com roupas que deixem de fora os ombros e as pernas. Roupas muito justas também devem ser evitadas. As mulheres devem evitar circular desacompanhadas, especialmente durante a noite.

Demonstrações de afeto em público são proibidos. Por outro lado, não estranhe se você encontrar na rua dois homens andando de mãos dadas ou até mesmo abraçados. Este é um costume que significa amizade, e não há qualquer conotação relacionada a sexualidade.


Alimentação

Muitas pessoas são vegetarianas na Índia, mas não todas. O que ocorre é que a vaca é um animal sagrado e as carnes disponíveis são: frango, peixe e carneiro.

Outro ponto, é que a comida em regra é muito apimentada, mas caso você não goste, basta dizer que tem alergia. Por questões de segurança alimentar, nós fizemos todas as refeições em nossos hotéis e valeu muito a pena, pois a comida era muito saborosa. Um destaque especial para as refeições oferecidas nos hotéis de Agra ( Courtyard by Marriott Agra ) e de Mumbai ( JW Marriott Mumbai Sahar).

Outra dica importante é consumir apenas água mineral, inclusive para escovar os dentes. Mas tenha atenção ao local que você irá comprar a água e fique esperto com as falsificações.

Quando ir a Índia(clima)?

A Índia é um país muito grande e com climas diversos. O melhor a fazer é verificar o clima do lugar específico da sua visita.

Nós fomos para o triângulo dourado (Nova Delhi, Agra e Jaipur), reconhecidamente um clássico destino da Índia, além de incluirmos as cidades de Jodphur, Udaipur e Mumbai.

A dica aqui é evitar os meses do meio do ano, uma vez que eles são bem chuvosos (Junho – 206mm, julho – 243mm e agosto – 112mm – em média). Os meses de novembro a maio são os meses mais secos. Nós viajamos em março e não vimos nem notícia de chuvas.

As temperaturas mínima e máxima nos meses de inverno variam entre 8°C a 24°C em dezembro , 7°C a 21°C em janeiro e 15°C a 30°C em março. Achei ótima a visita em março e super recomendo!


Como eu faço para chegar na Índia?

A Índia possui dois grandes aeroportos que recebem voos de todas as partes do mundo e a oferta de voos é abundante. Saindo do Brasil podemos partir do Rio de Janeiro, São Paulo e Recife através das empresas Emirates, Qatar, Lufhansa, Air France, KLM e American Airlines, sempre fazendo conexão, pois não existem voos diretos do Brasil para lá.

Nós chegamos no moderno aeroporto de Nova Delhi, em um voo com origem em Male (Maldivas) e fomos direto para a imigração. Do aeroporto para o hotel gastamos pouco mais de 30 minutos, não havia nenhum engarrafamento, pois era madrugada. Se chegar durante o dia, conte que vai gastar bastante tempo no trânsito. Nós havíamos contratado um pacote privado com motorista e guia, além de transfers de chegada e saída. Contudo, há serviços de Uber, táxi e trem disponíveis no aeroporto de Nova Delhi. Recomendo que use apenas serviços oficiais!


Quanto tempo ficar na Índia?

O país está cheio de atrações de norte a sul e o tempo vai depender das suas preferências na montagem do roteiro. Nós ficamos 11 dias em um roteiro que passou pelas principais cidades do Rajastão. Se tivéssemos mais tempo, teríamos incluído um dia a mais em Mumbai e inserido as cidades de Varanasi e Jaisalmer. Infelizmente, não tínhamos disponibilidade, pois conjugamos na mesma viagem uma visita as Maldivas.


Nosso roteiro de 11 dias pela Índia

Em nosso roteiro pela Índia, ficamos hospedados em 6 cidades, mas ainda visitamos algumas atrações em mais três cidades pequenas que estavam em nosso caminho. No geral, o roteiro ficou assim: Nova Delhi – 2 noites, Agra – 2 noites, Fatepur Sikri – apenas passagem, Jaipur – 2 noites, Pushkar – apenas passagem, Jodhpur – 2 noites, Ranakpur – apenas passagem, Udaipur – 2 noites e Mumbai – 1 noite.


Outras opções de roteiro

Muitos turistas também inserem os destinos a seguir:

Varanasi – Turistas visitam a cidade para assistir aos festivais e rituais que os hindus praticam no rio Ganges.

Bandhavgarh National Park – é um dos locais onde podemos apreciar os imponentes tigres de bengala em seu habitat natural.

Rishikesh – cidade muito conhecida pelos cursos de Yoga. Ali podemos observar o Rio Ganges tal qual ele desce das montanhas: bonito, limpo e frio.

Jaisalmer – Linda cidade no Rajastão, cujo apelido é “a cidade dourada”. Localiza-se no coração do deserto Thar.

Onde ficar – Nossos Hotéis na Índia

Nossa opção nesta viagem foi por hotéis de rede, a fim de evitar qualquer surpresa desagradável. Então, a relação que segue baixo foi testada e aprovada por nós. Para ver detalhes do hotel, é só clicar no nome.


Principais Atrações

Para não ficar ainda mais longo o post, vou colocar apenas o nome das principais atrações de cada cidade que visitamos com uma pequena descrição. Espero que gostem!


Nova Delhi

 

Raj Ghat – é um memorial a Mahatma Gandhi, que está no local em que ele foi cremado.

Jama Masjid – maior mesquita da cidade, comporta aproximadamente 25.000 fiéis. É um ambiente muito interessante, onde os muçulmanos costumam além de rezar, se encontrar durante o dia.

Portão da Índia – Assim como em outros países, Nova Delhi possui um portão ( bem semelhante ao Arco do Triunfo em Paris). Este monumento homenageia os soldados indianos mortos durante a primeira guerra e nas guerras afegãs.

Rashtrapati Bhawan – é a residência do Presidente. Em algumas épocas do ano ela pode ser visitada. Verifique no site do lugar a programação no período de sua visita.

Túmulo de Humayun – é um mausoléu construído para um rei mongol do século XVI. Ficou bastante famoso por ser uma das inspirações para o Taj Mahal.

Qutub Minar – é o minarete de tijolos mais alto do mundo. Foi construído no período em que muçulmanos estavam no poder. No mesmo sítio existem ruínas de uma mesquita construída com pedras remanescentes dos antigos templos hindus.

Forte Vermelho – É um conjunto de palácios do século XVII. O seu nome vem da cor das pedras utilizadas para sua construção. Não deixe de visitar este local, é muito interessante.

Templo Akhardham – é o templo mais bonito que visitamos na Índia, além de ser o maior templo hindu do mundo! A visita é obrigatória!

Destaco que não é permitida a entrada neste templo com qualquer equipamento eletrônico, inclusive celulares. Recomendo deixar no seu transporte (se for vigiado).

 


Agra

O trajeto de Nova Delhi para Agra é bem tranquilo e tem duração aproximada de 4 horas. As estradas que passamos eram muito boas e pedagiadas. O motorista seguiu rigorosamente o limite de 80KM/h.

Taj Mahal – O Taj Mahal é o ponto alto de uma visita a Índia. Não sem razão foi eleito uma das 7 maravilhas do mundo moderno. Ele é um Mausoléu construído pelo imperador Shan Jahan para sua esposa preferida Muntaj Mahal, como prova de seu imenso amor por ela.

Não tenho palavras para descrever a grandiosidade e a riqueza de detalhes do local.

A entrada custa em torno de US$20,00 por pessoa.

Recomendo que você chegue cedo, de preferência na primeira hora da manhã, pois assim conseguirá fotos menos lotadas (Consulte o horário de abertura, que varia de acordo com a estação do ano).

Uma dica para essa visita é não levar comida, power bank, tripés e carregadores portáteis, pois a segurança é bastante rigorosa e esses objetos são sempre barrados.

Forte de Agra – também pode ser chamado como Lal Qila ou Forte Vermelho de Agra. Localiza-se a 2,5 quilômetros do Taj Mahal e constitui-se numa cidade-palácio fortificada. Também foi classificado como Patrimônio Mundial pela Unesco. Em seu período áureo foi habitado por importantes personalidades como os imperadores Babur, Humayun, Akbar, Jehangir, Shah Jahan e Aurangzeb.

Itimad-ud-Daulah (Baby Taj) – este também é um mausoléu e foi construído antes do Taj Mahal. Dizem que por sua beleza foi utilizado como inspiração para o “irmão” maior. Não deixe de visitar, é muito bonito e bem menos concorrido.


Fathepur Sikri

Essa cidade fortificada foi abandonada no passado por falta de água. Também considero que vale muito a visita em razão do nível de conservação e beleza do lugar.


Jaipur

A cidade é a capital do Rajastão e uma das mais bonitas que visitamos em nossa viagem. O percurso de Agra para lá é um pouco mais extenso pois há uma parada em Fathepur Sikri, mas no geral gastamos mais ou menos o mesmo tempo de Nova Delhi para Agra.

Amber Fort – é uma das principais atrações da região e está localizado nos arredores de Jaipur. Recomendo muito a visita. O complexo é bem grande e ocupa o alto de uma montanha. Os turistas podem subir à pé, no lombo de elefantes (cada um com seu cada um) e em jipes. Recomendo avaliar a melhor opção para sua condição.

Palácio da Cidade – é um enorme complexo que inclui dois palácios: Chandra Mahal e Mubarak Mahal . Uma grande parte do Chandra Mahal ainda é residência da família real. O City Palace de Jaipur foi construído pelo Maharaja Sawai Jai Singh II entre 1729 e 1732. Recomendo muito a visita aos aposentos privados, que são definitivamente a parte mais bonita do palácio, mas possuem ingressos vendidos a parte.

Observatório Astronômico – Também foi construído pelo Jai Singh. O Jantar Mantar como é conhecido por lá, reúne diversos instrumentos astronômicos construídos entre 1724 e 1734 e que funcionam até hoje. A astronomia é um ramo muito significativo para os indianos.

Patrika Gate – é um grande portal com paredes e detalhes coloridos bem na entrada do Jawahar Circle Garden, um jardim/praça no meio da cidade. A visita é bem agradável e diferente das demais atrações da cidade.

Palácio dos Ventos (Hawa Mahal) – Na verdade, o Hawa Mahal é uma “fachada”. Foi construído em 1799 pelo Maharaja Sawai Pratap Singh e servia para que as mulheres da realeza pudessem ver a vida da cidade sem serem vistas.

Royal Gaitor – Nas imediações de Jaipur estão os cenotáfios das famílias reais do Rajastão.

Monkey Temple – está localizado no alto de um morro, de onde podemos visualizar boa parte de Jaipur. O local está cheio de vacas, cachorros e macacos. Ressalto, que embora tenhamos a impressão de que são animas bem sociáveis, os macacos são selvagens e não vacinados. Tomem cuidado!


Pushkar

Ghats de Pushkar – Pushkar é uma cidade sagrada para os indianos. Ali existem muitos Ghats, que são locais para os fiéis se purificarem/lavarem nas águas de rios ou lagos.

A cidade atrai muitos mochileiros que vão em busca de chás e iogurtes com ervas alucinógenas. No entanto, os uso desses chás/iogurtes pelos indianos é feito como parte de rituais e estão sempre ligados a religiosidade.


Jodhpur

Jodhpur é conhecida como a cidade azul e é a segunda maior cidade do Rajastão. O termo cidade azul foi cunhado em razão da cor das casas que eram pintadas com tinta azul. Alguns dizem que essa cor era para identificar as casas de membros de castas superiores, mas a crença mais comum indica que o azul era usado para espantar as mosquitos e também para aplacar o calor oriundo do excesso de sol e luminosidade da cidade.

Mehrangarh Fort (cidadela do Sol) – este forte foi fundado em 1459 e está a 122 metros acima da cidade. Todas as peças, quadros e salas do museu que funciona ali chamam atenção e nos fazem ter uma ideia de como era a vida do marajá quando o palácio era habitado. Há uma taxa extra para tirar fotos.

Jaswant Thada – Este é um mausoléu em homenagem aos mortos da família real de Jodhpur. Fica bem em frente ao forte, no caminho de subida para ele. Visite aqui antes de visitar o forte.

Old Town / Torre do Relógio – a visita a este local é uma excelente oportunidade para observar o cotidiano dos habitantes, pois funciona uma feira livre, onde é possível comprar de tudo, desde gêneros alimentícios até roupas.

Outras atrações em Jodhpur

Toorji Ka Jhalra – Este é um antigo poço ritualístico hindu (hoje não são mais utilizados) e está localizado bem perto da praça do relógio. Existem vários destes poços ao longo do Rajastão (nós vimos 3). Vale a visita para a ver a meninada se divertindo.

Sahi Samosa – Samosa é um prato típico indiano. Ela se parece com um pastel recheado de legumes (uma massa) apimentados. O movimento dessa loja é enorme. Achei o prato bem gostoso e baratinho. Se o seu estômago é fraco, tenha cuidado!

Ranakpur

Templo Jain – o Jainismo é uma das religiões oriundas do hinduismo. O maior templo que eles possuem fica nesta cidade, no meio do caminho entre Jodhpur e Udaipur. O templo possui 1444 colunas de mármore, todas esculpidas à mão e diferentes entre si. Muito lindo, uma jóia!


Udaipur

Palácio da Cidade – O Palácio da cidade de Udaipur é o maior do estado do Rajastão. Começou a ser construído pelo Maharana Singh II em 1559 e foi sendo ampliado por outros reis e dinastias por cerca de 400 anos.

O complexo é composto por alguns palácios e dois hotéis (imagina o valor da diária). A família do Maharana ainda habita uma parte do complexo. Há lojas e agradáveis restaurantes dentro do complexo.

Passeio de barco pelo lago Pichola – Há vários lagos na cidade de Udaipur, mas o que chama mais atenção é o lago Pichola, que fica perto do palácio da cidade. O passeio nos leva pelas margens do lago.

Passando pelo lindíssimo hotel Taj Lake Palace e parando por um período (tempo livre) na Jagmandir Island. A ilha também é linda, com seus pátios e jardins. Há um bom restaurante no local. O passeio é bem agradável.

Mumbai

Nós passamos pouco tempo em Mumbai, então fizemos apenas um overview da cidade acompanhados por uma guia.

Vale lembrar que Mumbai é uma das cidades mais importantes da Índia, sendo considerada o centro financeiro do país.

Vou deixar aqui apenas a lista das atrações que vimos, espero que gostem: Portão da Índia, Lavanderias de Dhobi Ghat, Ilha da Elefanta, Chowpatty (praia pública de Mumbai), Prédio da Suprema Corte, Universidade de Mumbai, Kamala Nehru Park, Catedral São Thomas, a Victória Terminus, Mani Bhavan (casa de Gandhi) e o Museu do Príncipe de Gales.

Serviços turísticos – Guia na Índia

Um dos pontos altos de nossa viagem foi o assessoramento que tivemos do nosso guia Prakash Bhattacharya, também conhecido como Tiku. Contratamos o serviço dele através de uma agência na Índia, mas ele também atende clientes de forma privado, basta entrar em contato direto com ele.

Ele fala espanhol fluentemente, além de inglês, francês e alguns idiomas da Índia.

Só tenho palavras de elogio e agradecimento a este excelente profissional. Caso queiram contratar seus serviços, podem entrar em contato com ele e dizer que eu indiquei (não vou ganhar nada por isso).

Seguem aqui suas informações de contato:

Whatsapp – +91-9829135180

Instagram – @prakash.bhattacharya.31

E-mail – prakashamer@gmail.com


Veredito

Essas férias foram memoráveis, primeiro em razão da nossa visita às Maldivas (VEJA O POST AQUI) e em segundo lugar porque só na Índia você vai encontrar uma mistura tão incrível de cultura, gente, cores e sabores. Já estamos pensando em voltar no futuro. Valeu muito a pena!


Com que destino eu posso combinar uma visita a Índia?

A Índia é um país muito fácil para combinar com outros destinos turísticos, porque além das opções mais lógicas, que seriam visitas aos países que fizemos escala para chegar lá, como EAU (Dubai ou Abu Dhabi), Qatar, Ethiópia; ela também casa muito bem com vários países da Ásia, como China, Bangladesh, Nepal, Butão, Myanmar, Tailândia, Cambodja, Vietnã, Laos, Sri Lanka e Maldivas. Todos estes lugares que eu citei ficam a uma curta viagem de avião. Aproveitem ao máximo o seu bilhete aéreo!

 

Espero que vocês tenham aproveitado bastante este post. Abraços a todos e obrigado pela visita! Deixe aqui seu comentário e visite nossas redes sociais: